segunda-feira, 31 de março de 2008

Remo e "muque" !




"Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára(...)"
(Canção: Paciência - Compositores: Lenine e Dudu Falcão)


Zé, boa noite meu querido!

Me forcei a dar uma paradinha nessa Roda viva que é o cotidiano que tenta dilacerar a nossa racionalidade, tentando nos robotizar, para prosear um pouquinho com você. Como anda a vida?
Rapaz, eu tô na batalha... é todo dia: Faculdade - Abastecimento - Enlatado - Trabalho - Enlatado - Cama... mas não posso reclamar, tem tanta gente que queria estar no meu lugar! Ahhh, mas posso reclamar um "tiquim" sim, posso não? rsrs... Se eu não o fizer, não honrarei minha raiz tupiniquim... rsrs

É um vencedor quem consegue algum tipo de abstração hoje em dia. A mencionada anteriormente "Roda viva" dilacera toda e qualquer tentativa de nadar contra a maré da vida moderna.
"Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come." (Desisti de repelir estas benditas frases feitas... elas me perseguem...rs)
Eu tento abrir caminho dentre este fluxo, às vezes consigo, muitas não, mas não desisto jamais. Eu quero mais do que existir em meio a multidão, e você Zé?
Você se contenta em apenas esperar o dia do seu fim?
Se alegra em apenas passar os seus dias como um mero espectador de um filme, comendo suas pipocas lambrecadas de manteiga?

Nem tanto a Cazuza, nem tanto a Padre Antonio Maria. O equilíbrio é essencial, mas se desiquilibrar é sempre bom, é o sazon da salada da vida. Experimente!

Sabe Zé, papear com você é um dos meus êxitos na luta contra essa correnteza. Espero, despretenciosamente, que em algum momento na leitura deste blog, tenha parado um pouco, para refletir sobre os assuntos abordados aqui. Acima de tudo Zé, espero que tenha conseguido se descobrir um "tiquitim" mais, que tenha olhado pra dentro de si mesmo e em meio a toda essa gente embalada pela rotina rumo ao despenhadeiro que tenha se animado a continhar guerriando nesta batalha que é árdua, mas é essencial para a nossa vitória pessoal.

Grande abraço!

Inté Zé!

domingo, 23 de março de 2008

Eu fico puto!!!

Zé, e aí tudo certo?
Sim? Ahh, que bom companheiro... (Alvim pra Presidente, 2010! kkk)

Eu tô na lida! Nem lá nem cá, quase um torcedor do América, sabe? kkk
Eu sempre digo que é melhor ser extremista e se arriscar a poder viver picos de felicidade e de tristezas, em detrimento a monotonia, mas quem disse que tô seguindo isso?
Tô literalmente môrno, com ou sem circunflexo, tanto faz.

Vander Lee disse:

"(...)Oh meu Pai dá-me o direito
de dizer coisas sem sentido,
de não ter que ser perfeito,
pretérito, sujeito, artigo definido(...)"
(Canção Alma Nua - Autoria, o próprio).

Obrigado Vander!!!! Tirou um peso enorme das minhas costas! kkk

Eu não sigo o que digo e fico puto por isso! kkk
Queria ser exatamente como eu aconselho aos outros que sejam, pois é o que eu queria ser de verdade.

Lembra daquele velho conselho? "Só deseje aos outros o que deseja pra você"
A frase não me recordo se era exatamente assim, mas você entendeu né? rsrs

Voltando a história de "ficar puto!"...rsrs Veja o vídeo a seguir, realmente é muito bom, é hilário!
Quem nunca se sentiu puto da vida? Ainda mais, com tantos motivos quanto ele...

Confira!

video
Trecho DVD: Terça Insana


kkkkkkkkkkkkkk

Boa semana prô cê!!!! Aproveite, lexotan tá em liquidação!!!

Inté Zé!

segunda-feira, 17 de março de 2008

"Mundo muderno"


A evolução da tecnologia trouxe muitos avanços para a sociedade, mas também destruiu coisas importantíssimas nas relações pessoais. Aonde eu trabalho, por exemplo, as pessoas ficam em frente ao computador o dia inteiro, ora trabalhando, ora "acelerando" os minutos para o fim do expediente.
Tem algumas pessoas que, além de trabalhar o dia todo no computador, chegam em casa, e vão direto para o seu PC se "divertir". Essa realidade não é só no meu trabalho não Zé! Se você não vive deste jeito, com certeza conhece alguém que é assim.

Mesmo eu, que tenho muitas destas "ferramentas" (Messenger, Orkut, Blog , etc), tendo apenas 24 anos de idade, descobri que sou "antigo" (e olha que a internet se tornou disponível a todos no Brasil, apenas na metade da década de 90), ou seja, pelo motivo de eu preferir contatos mais próximos da realidade possível sou quase uma múmia. rs

Deixa eu te contar um "causo" interessante:

Certo dia, "papeando" com uma pessoa no messenger, resolvo, depois de algum tempo de conversa, pedir o telefone para a pessoa em questão, não é que, para meu espanto, ela me disse, resumidamente: "Telefone? Vamos esperar mais um tempo, para que nos conheçamos melhor..."
Aff... Esperar um tempo, para nos conhecermos melhor pela internet?
Mas, o melhor para se conhecer não é se conhecer? kkk
E olha que eu apenas "apelei" para um outro meio de comunicação, nem marquei, o que seria o óbvio, que era de se conhecer pessoalmente.

Pela internet nós somos apenas o que dizemos que somos. Confusa a minha frase?
Olha, se eu te falar que tenho um metro e noventa de altura, loiro, olhos verdes e corpo de nadador?
E se eu disser que tenho todas as qualidades que a outra pessoa procura, mediante o que sei através do senso comum?
Tem muita gente que sabe argumentar bem , ou seja, que consegue sustentar algumas mentiras por um longo tempo... tempo suficiente para conseguir o que deseja.

O avanço da tecnologia é algo "imparável" (gostou da palavra? tenho uma parceria, muito bem sucedida e há anos com o Aurélio...rs), nem é bom para a sociedade que isso pare, mas devemos repensar as relações que estão sendo "construídas" atualmente, seja qual for o tipo de relação(amizade, amor...).
Que o medo seja substituído pela coragem, pois quem não se arrisca na vida, realmente terá menos chances de se esburrachar num buraco, mas nunca alcançará a felicidade de quem vai com a "cara e a coragem" atrás daquilo que almeja.
Resumindo: "Quem não arrisca, não petisca!"

Eu e minhas temíveis e insistentes frases feitas... rs

Abração prô cê...

Inté Zé!


sexta-feira, 14 de março de 2008

Quando Chove...

"Não tenho vinte e poucos anos,
Mas trago um cara muito novo em mim
Sou feito de perdas e danos
Me contradigo, me surpreendo no fim
Às vezes durmo vendo estrelas
Às vezes vou na contramão
Às vezes sou beleza rara
Às vezes dor e solidão
Mas esse cara que me move
Sabe o lugar que me convém
Me tranca em casa quando chove
E um samba triste logo vem
Da batucada faço um manto
Da poesia o meu altar
Cantar é o lugar mais santo
Onde o poeta vem deitar
Por isso vim me apresentar
E pedir a sua benção, meu senhor
Eu vim aqui pra fazer festa
Eu vim brincar de ser cantor"
(Canção: Quando Chove, Compositor: Vander Lee)




Solidão não é sinônimo de tristeza. Pode ser companheira, aliada ou apenas uma pausa para reflexão.
Estar só é ter um momento de poder dialogar consigo mesmo. Algumas pessoas não gostam, pois não se sentem felizes estando só, talvez por que olhar pra dentro de si mesmas seja uma tarefa muito difícil, árdua. Ver defeitos em si próprio é difícil, dá uma sensação de inutilidade, mas é necessária essa reavaliação.

Sou complexo, mas dentro desta complexidade não é muito difícil me entender. Sou verdadeiro, falo o que penso sem medo de não agradar. Sabe aquela frase dita por Médici: "Brasil, ame-o ou deixe-o", pois é, Alvim é quase isso. Que ditadura hein Zé? rsrs
Mais precisamente eu diria: "Alvim, ame-o ou odeio-o". Algumas pessoas transitam por estas duas vertentes muito "facilmente". Ora morrem de amores por mim, ora não suporta nem ouvir falar no meu nome.
Gosto de entender tudo o que se passa no mundo das pessoas, de entendê-las e de ajudá-las (utopia hein Zé?). Meu maior defeito é invadir o mundo das pessoas. Quando não as entendo, me perco.
Mesmo não preocupado em agradar, odeio ser mal interpretado, até pelos inimigos.
"Inimigos" ! Luto até o último instante para não tê-los, mas algumas pessoas conseguem essa proeza. A Idiotice é também uma das minhas grandes "qualidades". Continuo acreditando nas pessoas, mesmo tropeçando nas pedras jogadas por elas mesmas para que eu caia.

Sabe, inocentemente acredito que todos são bons, fazem boas coisas e que, quando não as fazem, é porque estão enfrentando algum problema. Acredito que vilões estão só nos gibis, mas um dia, numa conversa com minha ex-sogra, ela me disse, resumidamente, que tem pessoas más também na vida real. Tenho quase certeza que se ela ler esta postagem, não se lembrará desta conversa, mas eu me lembro, fiquei pensando dias nisto. As conversas com ela eram muito proveitosas, espero que ela saiba da importância que teve para mim.

"Como sobreviver em festas e recepções com buffet escasso?" É o nome de uma peça do comediante Carlos Nunes, muito boa por sinal, duas horas de muitas risadas, mas a minha pergunta é outra: "Como sobreviver num mundo onde a sinceridade é escassa?".

Zé, acho tosca a minha paródia? rsrsrs

Me ame ou me deixe, a escolha é sua!!!

Inté Zé!!

domingo, 9 de março de 2008

The end!


Sr. Zé, tudo bem?

Eu tô indo, aos trancos e barrancos, mas tudo em "riba"!

Ontem, nós do Coral Ciminas, abrimos o Show do Cantor Lô Borges, no 7 º Festival de Verão de Pedro Leopoldo, hoje abriremos o do cantor Guilherme Arantes.

A sete anos atrás, em Fevereiro de 2001, fui fazer um teste para entrar num coral em Pedro Leopoldo. Era uma tarefa na qual eu não acreditava muito que teria êxito, imagina, eu que antes havia cantado apenas num coral de igreja e no "banheiro" entrar para o Coral Ciminas? mas consegui entrar. Desde esse dia eu nunca mais fui o mesmo. Cresci como pessoa e como músico. Conheci pessoas que se tornaram minha segunda família.
Amizades, amores, colegas, brigas, brincadeiras, empolgação, frustração...
Coral Ciminas englobou isso e muito mais.

Ver teatros cheios, platéias entusiasmadas reverenciando todo um árduo trabalho foi muito gratificante, mas o melhor de tudo foram as relações que lá foram construídas: Marilene, Alexandre, Harllen, André Santos, André Chamon, Mariana, Jamille, Lucas, Caroline, Ana Carolina, Emerson, Robson, Dú, Paulo, Graciele, Zirlene, Vívian, Marinho, Ítalo, Wellington, Camila, Rodrigo, Anderson, Fabrícia, Vanessa, Gizele, Varginha, Cláudio Trompete, Ernani Malleta, Tarcísio Homem, Robson Bateirista, Aline do violão, Emília Percussionista, Tuanny, Melina, Vanina... (os outros que não me recordei agora, colocarei a medida que lembrar...).

Quem vai se esquecer da célebre temporada "Coral Ciminas canta Chico Buarque"? Lanagro e Teatro Isabela Hendrix LOTADOS! A viagem para Conselheiro Lafaiete(rsrs), o palco da Quinta do Sumidouro, o "jantar" no Clube da Ciminas. E os Sítios?
E "Coral Ciminas canta Minas"? "Café com pão, café com pão, café com pão... Piuí! ". rs.
Nos 10 anos de Coral Ciminas, as "Dez mais", "A Noiva do Condutor" de Noel Rosa. E as oficinas de aperfeiçoamente: "Foto número 1, foto 2!"... rsrs

Notou um "tom de despedida"? Pois é, hoje será a "Saideira", sem "Bis". Os aplausos de hoje serão os útlimos. Os bastidores, o nervosismo antes de entrar no palco, as broncas da Marilene, as brincadeiras fora de hora, tudo isso termina hoje.

O que motivou este fim? Muitos são os motivos, é melhor deixar prá lá...

O que nunca poderá se "deixar pra lá" foram todas as alegrias que tive nestes 7 anos, o olhar do público, ora alegre, ora tenso, ora entusiasmado, ora emocionado e os aplausos...

Obrigado Coral Ciminas, obrigado minha família, eu e todo seu público sentiremos muitas saudades!

CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP!
CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP! CLAP!

Inté Zé!